quarta-feira, 5 de novembro de 2008

A "minha" igreja

Esta imagem é o nosso padroeiro S.Mamede parece pequenino mas é muito grande, tambem se ve em baixo no altar -mor duas imagens que são o S.Pedro e esta de S.Mamede no dia de festa que é 17 de Agosto, o andor de S.Pedro é preciso 12 homens para levar carregar tao pesado que é a procissão chama-se Procissão do Triunfo e leva um santo de cada capela que existe aqui em Valongo ainda este ano eram 13 andores , nao ha Procissão mais linda por as redondezas ... ate pelo tamanho dos nossos santos da igreja que sao todos enormes .... aqui fica mais um pouquinho da historia da minha terra ...ja veem que ja de muitos anos atras que os padeiros ganham bem a vida.... pois foi com os donativos deles que se construiu esta maravilha.
Só é pena as fotos nao terem qualidade nenhuma mas foi o que consegui .
Tambem temos no cimo do monte de S. Justa duas capelas ,uma mesmo no topo da serra ,a outra chamamos a capela velha ,porque conta-se que ela esta construida em cima de um fojo onde apareceu duas meninas mortas sendo elas Espanholas .... vendiam panelas e coisas desse genero , e foram raptadas e violadas em Espanha e mortas ,e vieram aparecer aqui nesse fojo ,entao construiram essa capela mas como ficava num sitio que nao se via ,construiram outra mesmo no topo da serra , a velha ja foi restaurada ,que eu saiba duas vezes, esta muito linda ...
Esta lenda destas santas S.Justa e S.Rufina desde criança que a ouço , nao sei que de verdade ha nisto , mas a festa realiza-se no penultimo domingo de Julho ,agora ja nao se usa mas quando era pequena iamos a Segunda feira com o merendeiro comer la cima á serra ... e era assim , ao Domingo era dia se S.Rufina era dia de festa das pessoas de fora do conselho á tarde
era para arranjar namorados andar nos carroceis ...era mesmo lindo,depois vinhamos a´pé pela serra abaixo com o" triunfo"que era um manorado ,nem que fosse só para aquele dia ... e na Segunda Feira era dia dos Valonguenses irem la cima com o merendeiro jantar ..... que saudades...
Na Terça feira era dia dos Volonguenses .... mas os ricos .. porque para os pobres ja nao havia festa. Agora ja nao é assim nem se vai com o merendeiro, porque ha muitas barracas de comes e bebes ,e ja ninguem quer ir a pé .... eu tambem agora nao aguentava .... bem isto ja vai longo de mais ,mas sinto-me tao bem a recordar estas coisas ..... e que esta serra tem algo que me atrai ,nao sei se será o ouro que por la ainda existe!!!!









este painel que se ve aqui Ascenção do Senhor ,e uma pintura muito valiosa aqui nao mostra ,a verdadeira dimenção dela porque talvez a foto foi tirada muito de longe ...
ja nao é a primeira vez que durante a missa anda uma pomba la em cima a sobrovoar o altar ja assisti umas poucas de vezes , a ultima vez que vi por acaso era missa por a minha mãe!!!











1794, é data do início de construção da Igreja Matriz, erigida no local ocupado pela antiga, que foi demolida por estar a arruinar-se. Emoldurada pela Serra, levou mais de meio século a concluir. Ainda de 1865 datam a escadaria, o gradeamento e portões.
A portaria do governo que autorizava a sua edificação vem assinada por D. João VI e data de 1793.
No tempo das Invasões Francesas serviu de quartel-general às tropas invasoras. A primeira missa foi aqui celebrada em 20 de Setembro de 1823.
A 3 de Março de 1837 realizou-se, na sua sacristia, a primeira sessão camarária do recém-formado Concelho de Valongo (1836).
As suas paredes em alvenaria, com mais de um século já passado e apesar da sua altura superior a vinte metros ainda mantêm todo o seu prumo e alinhamento.
Na fachada principal, o corpo central é ladeado por duas torres sineiras com duas ordens de campanários. Sob estas, um relógio.
O corpo central é coroado por um frontão triangular em cujo tímpano temos a imagem de S. Mamede pintada em azulejo. Uma cruz granítica serve de remate às empenas laterais. A flanqueá-lo dois fogaréus.
O amplo pórtico de forma rectangular é todo ele rematado em cantaria e encimado por três amplos janelões sendo o central ornamentado por azulejo com as armas de S. Pedro.
Nos tramos laterais, também estes revestidos a azulejo, encontramos imagens do Santo Padroeiro.
O interior da igreja é majestosamente decorado com pinturas de Francisco Rezende – das quais destacamos a que se encontra no Baptistério representando o baptismo de Jesus nas margens do Jordão em tamanho natural – e de João Ribeiro.
Tem a nave do templo, acesso por quatro portas.
No seu interior deparamos com seis altares, simetricamente colocados.
Estes são consagrados ao Sagrado Coração de Jesus, a N. Senhora da Purificação e a N. Senhora da Conceição, do seu lado esquerdo e do lado direito consagrados a Jesus Crucificado, a N. Senhora do Rosário e a Sto. António.
No fundo da capela-mor destaca-se o altar principal, ladeado por coríntias, tendo do seu lado direito a imagem de S. Mamede – padroeiro da freguesia – e do seu lado esquerdo a de S. Pedro, sendo estas em tamanho natural.
Por último uma referência ao órgão de tubos feito em Inglaterra em Huddlesfield nas oficinas de Peter Conacher, pelo preço de 1:700$000, inaugurado a 6 de Fevereiro de 1881.
Este, segundo Pinho Leal, seria na época, um dos melhores do país.
Digna de ser observada, a abóbada, toda ela construída em tijolo e pedra, foi em 1884 pintada com figuras da Virgem e dos Quatro Evangelistas.
Convém não deixar de mencionar a particularidade desta Igreja ter sido praticamente construída com o produto do labor dos padeiros de Valongo, e o facto de ter sido erigida por um mestre operário chamado Sebastião, que demorando mais de meio século a concluir a obra, assim perpetuou o seu nome.

9 comentários:

Sandra disse...

Olá Cilinha:

A sua igreja é realmente muito bonita!

Grande obra mesmo.

Quanto às festas, achei muita piada ao dia S. Rufina, descer o monte a exibir os namorados, lol, e as mães? Não ralhavam??? lol,lol

Recordar é viver, não é amiga?

Beijinhos com "micróbios"...lol...

AB disse...

Linda a tua igreja. Sem duvida mais uma grande obra que temos por cá e que por vezes nem sequer imaginamos tal tesouro. Notou-se durante o desenrolar do texto que a Cilinha estava emoconada ao recordar esses tempos. è tão bom recordar estas coisas, não é verdade? Faz parte de nós.
Beijinho grande.

Anónimo disse...

cilinha adoro estas historias dos santos e das padeiras de valongo são historias que nos fazem respeitar os nossos antepassados por todas estas coisas lindas que eles fizeram e nos deixaram a historia de valongo ate havia de ser contada na es/cola as crianças de tal maneira ela e bonita beijinhos angelina

Ana Guida disse...

gostei mt de conhecer a sua igreja e as suas historias :)

bjs*

teresa disse...

Muito bonita esta Igreja, Cilinha! Gostava de conhecer pessoalmente e um dia poder assistir á procissão. Eu gosto muito de ver os andores que também ainda passam na minha terra na procissão em honra de S. João Baptista.
beijinhos

O PIRATA JOÃO disse...

olá cilinha,

Adorei conhecer um bocadinho das histórias do seu "canto"... a igreja é linda de morrer e as lendas fantásticas...

aqui onde moro tudo isso já se perdeu... é com alguma vergonha que vou contar um episódio: eu tenho 31 anos e nunca vi uma procissão... até um dia (alguns meses atrás) ia de carro com a minha família (marido e filho) e a policia mandou-nos parar... ia passar uma procissão em pelo monte estoril... eu nem queria acreditar no que ia ver... saimos do carro os três e ficamos a ver o mar de gente com velinhas a rezar e a lutar pelas suas convicções, adorei!!!

agora quem se estendeu na escrita fui eu eh eh eh na minha casa pode escrever o que quiser e quando quiser e lhe apetecer... eu vou fazer o mesmo cilinha... acho muito interessante esta partilha de esperiências e principalmente vivências

um grande beijinho

Anónimo disse...

cilinha bom fim de semana beijinhos angelina

Liliana disse...

Bom Fim de Semana

Beijinhos

Sandra disse...

Cilinha:

Passei para desejar bom FDS!

Beijinhos