segunda-feira, 3 de novembro de 2008

mais uma lenda....

Lenda de Susão e Valongo

Os nomes de Valongo e Susão têm origem nesta lenda que remonta à época em que alguns cristãos perseguidos no Oriente se refugiaram em Cale, foz do rio Douro. Entre eles estava o rico negociante judeu Samuel, recém convertido ao Cristianismo, e a sua filha Susana. Pensavam os fugitivos estarem já livres de perseguições quando foram obrigados a defender-se dos árabes que dominavam a região. Com astúcia, prepararam uma armadilha e capturaram o jovem Domus de cujo resgate esperavam obter a paz. Enquanto decorriam as negociações, Domus e Susana apaixonaram-se e o mouro pediu para ser baptizado para poder casar-se com a jovem. O acordo com os muçulmanos era assim impossível e decidiram todos fugir, deixando Portucale (Porto) em direcção ao Oriente. Chegados ao topo da Serra de Santa Justa depararam com uma paisagem lindíssima e a apaixonada Susana exclamou um elogio sincero ao vale longo que sob os seus olhos se estendia. Desceram ao vale e nele decidiram ficar para sempre, edificando as primeiras casas de uma povoação que se veio a chamar Susão, em memória da bela Susana. O vale que Susana tinha achado belo e longo ficou conhecido como Valongo.


O PÃO DE VALONGO
Durante muitos e muitos anos Valongo forneceu pão para muitas outras terras à sua volta. Os campos de cultivo eram férteis e os moinhos nos rios, com a força das águas, moíam o grão e faziam a farinha.O pão de que o povo se alimentava era de milho e de trigo e os pobres misturavam-lhe centeio para que o pão ficasse mais doce e agradável ao paladar.Quase não havia uma casa que não tivesse forno para cozer pão, fazer biscoitos, regueifas e bolachas.Durante as Invasões Francesas era em Valongo que se fazia o pão que se comia no Porto. O general francês que comandava o exército inimigo, um homem chamado Molet, era grande apreciador desse pão. Todos os dias, ao pequeno-almoço, não dispensava o saboroso pão. Em Valongo, os padeiros já sabiam que todos os dias o pão linha que estar pronto à mesma hora e quando colocavam as cestas nas carroças que iam para o Porto diziam:
-Lá vai O pão para O Molete! (Como não sabiam falar francês, era assim que o chamavam.)A partir daí, os pãezinhos pequeninos de Valongo começaram a chamar-se "moletes"!

A minha terra é muito conhecida pelo pão e pelos biscoitos ,dizem que o pão de Valongo e o melhor das redondezas antigamente as padeiras iam todos os dias a pe puxando o burro carregado de pão para o Porto ,de noite ,para chegarem cedo ao Porto para a distribuiçao de pão na cidade,os burros levavam uma canastra de cada lado cheias de Pão ...ainda me lembro de ver esses burros na rua ....
Os biscoitos sao uma delicia uma fabrica que ainda se encontra em funcionamento é o Pauperio .... "Fabrica de Biscoitos Paupério" sei que tem mais de 200 anos a fazer biscoitos e marmelada caseira ,digo-vos que nao ha biscoitos melhores que estes ...apesar de haver mais fabricas aqui em Valongo a fazer biscoitos, estes sao os melhores e entao o bolo rei no Natal nem se fala ..... pão -de ló na Pascoa são a tradiçao da minha terra ...
Amanha falarei da Ardosia ,para hoje ja chega .....

Até amanha....

8 comentários:

Anónimo disse...

cilinha obrigada por esta historia tão bonita pensei que conhecia a historia de portugal mas ainda tenho muito que aprender.e a origem do nome dos moletes tambem não conhecia.agora fico com vontade de conhecer valongo.lol tambem adoro os fetos são plantas que os canadianos utilisam na cosinha.beijinhos angelina

Sandra disse...

Olá bom dia amiga:

Gosto das lendas e histórias que conta... então a bela Susana apaixonou-se aí pelo seu vale... que giro, adoro histórias de amor!

Quanto ao pãozinho, biscoitos e afins de Valongo, ai, ai... já estou a ver que se um dia for aí... venho mais GORDA uns quilos..eheheh

1000 beijinhos

cilinha disse...

é verdade Sandra nao ganho nada com esta publicidade ,mas aqui ha varias casas que fabricam os biscoitos ,mas nada que se acompare a esses é onde eu compro e tambem a marmelada ,onde vires a marca Paupério ,ja sabes que é de qualidade ,hahah publicidade gratuita ...
beijinhos

Liliana disse...

Ai Cilinha a falar de pao, biscoitos, pao de lo, hummm ja me esta abrir o apetite.

Beijocas

Sandra disse...

Cilinha:

A marmelada... eu simplesmente ADORO!

No F D S ofereceram ao meu marido duas caixinhas da caseira, eu tenho andado a evitar "meter-lhe a unha"...lol...

Adoro marmelada com bolachinhas de água e sal!

E essa Paupério deve ser uma delícia, hei-de procurar.

Beijinhos doces

Ana Guida disse...

adorei conhecer a lenda, e lindissima :)

e por falar em marmelada, lembrei-me k tenho ali uma caixinha dela caseirinha, vou ao ataque :P

obrigada por partilhar estas informaçoes connsoco e nos ensinar algo :)

bjs*

Sandra disse...

Cilinha:

Já fui "atacar" a dita cuja...

Que fiasco:(

Afinal era doce de abóbora e eu a pensar que ia ter marmelada...lol, lol...

Gosto desse doce, mas prefiro de longe marmelada!

Beijinho

liliana disse...

Nunca vivi propriamente em valongo, mas sempre nas freguesias pertencentes a este concelho(alfena e ermesinde) e não conhecia nenhuma dessas lendas, nem mesmo os fojos!interessante...

Sim apresentei queixa na policia, logo no sábado, porque tenho medo que usem o carro pra assltos ou se envlvam em acidentes e assim a policia já sabe que o roubaram e a responsabilidade já não é minha!

Beijinhus