segunda-feira, 15 de setembro de 2008

VENEZUELA..||

,lindo mas tremendooooooo nao parava nada com ele, estas botas uma vez vinha no autobus com ele e como ele era tao sossegadinho quando cheguei a casa vi que ele tinha perdido uma bota fiquei triste porque tinham -me mandado estas botas de Portugal .


adivinhem quem e este..pois e´o meu pequenote ,duma raçaaaa mas toda a gente gostava dele.

eu com umas amigas de quando iamos levar os meninos ao colegio a loura e´a italiana grande amiga me ajudou muito com o meu brunito como ela lhe chamava o meu filho esta ao colo dela tenho saudades dela ........as outras nunca mais as vi .








quando cheguei a Venezuela o meu filho era assim agora ja tem 32 anos foi o primeiro dia de escola estas calças era o uniforme dele porque lá todos tem de ir de uniforme.







Quando cheguei a Caracas fiquei a viver em casa de uns amigos a adaptaçao foi facil tirando as saudades da minha familia foi tudo bem o meu filho entrou logo para a pré escola ,coitadinho sem sabem falar o castelhano mas foi o que aprendeu mais depressa em 15 dias ele ja nao falava o portugues ..... imaginem a minha vida eu ia leva-lo a escola, e a minha amiga Carmem que era onde eu vivia apresentou-me a uma espanhola que vivia la no predio e eu ia com ela !!!! .... eu qua nao falava uma em espanhol a nao ser buenos dias , ou buenas tardes tinha de a acompanhar mas foi bom para mim, a Carmem trabalhava numa fabrica de confecçoes e mandava-me trabalho para casa eu como ja tinha umas luzes de costura ,foi canja a minha vida era levar o meu filho a escola e costura todo o dia com televisao ao meu lado assim aprendi a falar o castelhano porque la a televisao nao tinha legendas era tudo traduzido em espanhol eu que adorava ler jornais e revistas como lia muito ,tudo isso me facilitou a vida porque eu tinha de ptrender para ensinar o meu filho nos trabalhos de casa ....




Como a minha amiga estava de bebe resolvemos ficar na casa dela ate ter o bebe ma s infelismente o bebe nasceu morto era uma menina , mas a vida continua e nos arranjamos uma casa e la fomos eu com a costura o meu marido como cozinheiro a vida foi seguindo com muitas saudades mas como tinhamos muitos amigos todos portugueses nao era dificil.









lembro-me que quando as saudades me apertavam muito eu punha musica portuguesa era o jose cid o Marco Paulo eu estava na maquina a cozer e a cantar e resultava porque sentia -me melhor passava a vida a tirar fotos porque a minha primeira prenda que o meu marido me deu lá´foi uma maquina fotografica .




Entao resolvemos que era tempo de dar um irmao ao ze luis nós queria -mos uma menina mas Deus nao quis e deu-me um rapaz mas era engraçado que todos os meses ia ao ginecologista e a Carmem ia comigo o meu marido ficava em casa a cozinhar ainda me lembro que era sempre bacalhau a braz era um luxo porque o bacalhau nao era nada barato, com o nascimento do meu filho a minha vida mudou ,tive que sair desse apartamento e fui para porteira como nao pagava renda ja me ajudava , so´que nao escolhi muito bem enfiei-me num predio com duas torres que se nao me engano uma tinha 10 andares e a outra 11 imaginem a minha vida com um bebe e o outro na escola mas estive la ate nao aguentar mais toda a gente era boa para mim ai me valeu muitas vezes uma amiga italiana que me ajudava muito nao a limpar mas olhava-me por o meu bebe.




Uma vez fui tirar o lixo da maquina que era no estacionamento do predio por cima ficava a minha casa e comecei a ouvir gritos do meu filho , eu nao tinha pernas para subir para casa , estavamos no natal e eu tinha feito a arvore entao o mais novo subiu para cima dum movel e agarrou-se a arvore ..... pois caiu tudo e ele ficou debaixo da arvore .,..outra vez a mesma cena ,gritos venho a correr foi ele , porque esse era um diabico ,meteu-se na casa de banho e com uma lamina cortou-se num dedo mas uma coisa pequenina ,só que passou esfregou a mao na cara e ficou todo cheio de sangue eu nao sei como nao cai para o lado .




Nos tinhamos um grupo de amigos que se lembraçem de ir la casa a meia noite nao largavam a campainha sem a gente abrir a porta so para tomar cafe mas eu gostava davamo-nos todos tao bem ao DOMINGO juntavamos tdos e iamos para o monte logo de manha mas comida nao faltava e musica tambem nao .... as nossas comidas erm para de manha moelas bem picantes ao almoço ou era cozido ou feijoada e para a tarde ou era camaroes ou moelas era sempre um dia em cheio outras vezes era para a praia mas voltando ao meu trabalho ,quando eu ja nao podia mais tive de sair dali mas arranjei um predio pequenino com 6 andares ai ja eu estava bem só que ai era gente que inplicava por tudo até por eu ter um filho pequeno ,entao resolvi ir para um apartamento pequeno mas voltei a costura outra vez ,mas estava melhor ai puz o meu filho num colegio privado o outro depois tambem foi para la ,tinha muitos portugueses a minha volta entre eles a Teresa o nosso predio era quase tudo portugueses da minha cozinha chamava para elas virem tomar cafe a minha casa era bom ,e da.me tantas saudades como eu trabalhava em casa elas iam muitas vezes para la conversar comigo.




A minha amiga Carmem foi a mdrinha do meu filho hoje ela vive aqui pertinho de mim tem um café´mesmo aqui acima de minha casa,mas sao tempos que nao esquecem as vezes ao sabado iamos a meia noite para casa duns amigos as crianças adormeciam nos mulheres faziamos crochet e eles homens jogavam as cartas a tomar cafe toda noite e conversar ,assim passavamos a noite no Domingo resolviamos iamos para a praia .... ha coisas ,nónque hoje quando me lembro penso, nós eramos uns loucos mas era a melhor maneira de passarmos o tempo convivermos com outras pessoas todos portugueses e davamos valor a qualquer coisinha que fosse portugues .




Por agora fico por aqui ja estou cansada de escrever.... mas isto nao acaba aqui , só se valoriza o que é´portugues quando se esta longe do nosso portugal ,na venezuela so ouviamos musica portuguesa era tao bom ouvir o Quim Barreiros fados tudo o que fosse nosso era uma alegria imensa quando ouviamos a nossa musica e as vezes sinto -me triste quando ouço dizer " ve-se logo que e´imigrante" só por ter musica pimba como lhe chamam agora. ok xau ate logo.








3 comentários:

S.A. disse...

Querida Cilinha:

Continuo a adorar as suas aventuras venezuelanas... e que aventuras...

Vejo que é uma senhora que valoriza muito a amizade, e como tal, conseguiu adaptar-se bem lá fora, fez rapidamente muitos amigos!

Imagino as patuscadas e os bailaricos que faziam, que divertido deve ter sido!

Falou que ouvia Marco Paulo, a minha mãe também o adorava! Uma das suas músicas favoritas era "Nossa Senhora"!


O seu filhote era uma ternurinha, mas com arzinho reguila! Que giro!!!

1000 beijinhos e cá continuo à espera dos seus relatos!

Noite Feliz!


Sandra


P.S. A minha princesa chegou feliz da escola, oxalá corra td bem!

filipa disse...

Olá,

Os meus parabéns pelos facto de aos 56 anos, navegar pela internet com a leveza com que o faz. Oxalá eu consiga daqui a 20 anos estar tão predisposta a estas aventuras como a Cilinha está!!!

Irei concerteza acompanhar de perto os relatos da sua vivência na Venezuela!!

Um grande beijinho para si!!

Anónimo disse...

cilinha tambem teve uma vida rica em experiencias humanas.estou impaciente por saber um bocadinho mais.temos muita coisa em comum.quando estou triste ponho musica portuguesa tambem gosto do marco paulo.Nos aqui em franca somos mais individualistas cada um vive para si. bjs.angelina