domingo, 14 de setembro de 2008

VENEZUELA..|

aqui estou eu com duas amigas num clube que se chama Hermandad Gallega onde eramos socios e passamos bons momentos ,tardes a fazer crochet equanto os miudos andavam na piscina.............. belos tempos aqui esta a minha amiga Teresa beijinho para ela.


Eu tambem ja fui Emigrante na Venezuela com o meu marido foi em 7 de Agosto de 1980 ,lembro-me que perguntava ao meu marido se la havia hortaliças tomates e coisas assim ,ainda hoje me da vontade de rir ,porque nao sei o que e´que me passava pela cabeça nunca me imaginei que ia para uma cidade bonita muito grande , naquele tempo ,porque o que me dizem agora é uma cidade suja se ja naquele tempo nao havia muita segurança nas ruas ,agora nem se fala tambem com aquele homem no governo nao se podia esperar outra coisa.



Mas de uma coisa nunca me vou esquecer foi daquele cheiro quando cheguei ao aeroporto de Simao Bolivar o cheiro a petroleo ,aquele ar tao quente ,o cheiro tao intenso de petroleo depois de 9 horas de viagem sao momentos que nunca mais eu vou esquecer.... cheia de sonhos com um filho de quatro anos e o senhor que estava a nossa espera era espanhol e disse-me " mira senhora lo que cuesta mas son los primeros diez años" e eu me assustei e pensei esta louco o homem!!!.... ai começou a minha aventura por terras de Simao Bolivar.



Pela autoestrada ate Caracas era assustador porque so se via barracos uns por cima dos outros que se chama "ranchos" esses ranchos eram contruidos da noite para o dia mas a porta desses ranchos havia bons carros e nao e qualquer pessoa que se metia pra la pelo menos estrangeiros.... mas quando cheguei a Caracas era uma cidade linda ainda para mais de noite tudo iluminado .....gostei e a minha primeira paragem foi num restaurante onde o meu marido trabalhava o Restaurante Santa Maria na Candelaria mesmo no centro da cidade eram todos portugueses nao me custou nada ,dai fui para casa dum casal amigo do meu marido que eu nao conhecia apesar deles serem daqui pertinho de minha casa mas ,como eu sou uma pessoa que me dou bem com toda a gente foi facil adaptar-me fiquei la em casa deles num quarto como meu marido e o meu filho com quatro aninhos era uma maravilha vivia no 16 andar quando vinha a varanda tinha Caracas aos meus pes de la via o palacio de Mira Flores ou seja o palacio do governo e o primeiro que eles me ensinaram foi gracias,buenas tardes, permiso que e´com licença as palavras basicas porque depois como eu via a televisao todo o dia fui aprendendo e,nao foi dificil......... bem por hoje fico por aqui amanha continuo com estas recordaçoes.

2 comentários:

S.A. disse...

Cilinha:

Estou a adorar ler a sua história por terras venezuelanas!!!

Com um filho pequenino, deve ter sido mesmo uma aventura...

deve ter ido muito entusiasmada mas por outro lado também receosa... partir para o incerto e longe de casa...

Ainda bem que fez amigos rapidamente, que grande ajuda deve ter sido!

Beijinho grande e cá fico a aguardar " novos capítulos" da sua história de emigrante!

(Também tenho familia na Suiça, e primitos que já lá nasceram e que possivelmente já não quererão voltar para cá.)


Sandra

Anónimo disse...

ffeu vim para a franca tinha 16 anos agora tenho 54 au principio custou-me muito a adaptacao sobretudo que vim sozinha com a minha irma mais velha que tinha 26anos mas agora a franca e o meu pais como portugal para mim portugal e o pai e a franca e a mae.gosto dos dois um dia talvez possa ir a venezuela e matar saudades da sua amiga teresa um beijinho angelina.